Representantes do Itamaraty assistem Namíbia, Não! no Rio de Janeiro

Foto: (esq. p/ dir.) Sr. Paulo cordeiro de Andrade Pinto, Aldri Anunciação e a Sra Vera Estrel de Andrade Pinto

Na sessão de ontem, contamos com as ilustres presenças do Sr. Paulo cordeiro de Andrade Pinto – Subsecretário Geral Político 3 África e Oriente Médio do Itamaraty e da Sra. Vera Estrel de Andrade Pinto – Embaixatriz do Brasil para o Haiti e Canada. 
Ambos participaram, também, do debate que seguiu a apresentação e que consiste em parte da contra-partida social do projeto ao patrocínio da Eletrobras/Furnas.
Temporada segue até o dia 15 de setembro sempre de sexta a domingo. Teatro Candido Mendes – Ipanema – Rio de Janeiro.
Realização: Tô Ligado Produções Artísticas LTDA

Namíbia, Não!: Livro

O espetáculo Namíbia, Não! na encenação do também ator Lázaro Ramos, aproxima-se dos 3 anos de sucesso de público, crítica e de serviço social na divulgação de questões ligadas ao racismo, ao preconceito e as relações identitárias. Mais do que divulgar, Namíbia, Não! exerce um papel fundamental no processo de reflexão que desemboca num inovador e sofisticado instrumento educacional. São inúmeros os casos de depoimentos de negros e brancos que após assistirem Namíbia, Não! experimentaram uma nova atitude em relação a si mesmos, às questões que o espetáculo toca e em situações sociais em que o preconceito aflora. Trata-se de uma peça teatral, uma obra de arte teatral com potência agregadora e pacificadora. Ao contrário do que comumente ocorre em ações que tratam de racismo, preconceito, a questão do negro no Brasil ou relações identitárias, a peça escrita pelo baiano Aldri Anunciação consegue atrair públicos que jamais teriam interesse no assunto e faz, sentarem na mesma poltrona, etnias avessas, pensamentos contrários, classes sociais distintas numa ação revolucionária e altamente política. Tudo isto, com teatro de altíssimo nível e com uma dramaturgia que figura entre as de maior destaque na dramaturgia brasileira contemporânea.

Vencedor de vários prêmios, como o Braskem Salvador/BA de melhor texto em 2011, Prêmio FAPEX de Teatro de 2010, Prêmio R7 – São Paulo de melhor texto em 2012, Namíbia, Não! foi publicado em livro pela Editora EDUFBA em 2011 o que garantiu a ampliação do alcance do projeto por via literária. Já são mais 1000 (mil) exemplares vendidos ou doados nos sete estados brasileiros em o espetáculo circulou (São Paulo, Rio de Janeiro, Paraná, Minas Gerais, Distrito Federal, Ceará e Bahia) além de Portugal e Alemanha. Tornou-se leitura obrigatória para os estudantes do primeiro semestre de direção teatral do Curso de Artes Cênicas da Universidade Federal da Bahia por decisão da Profª. Drª Cleise Mendes (também autora do prefácio do livro). A crítica brasileira Barbara Heliodora, em crítica no Jornal O Globo declarou: “Já tendo merecido premiações, o texto apresenta um número de méritos que compensam largamente aquelas suas deficiências mais ou menos inevitáveis em um autor estreante (ao menos em teatro adulto).” e completa: “Grata contribuição à dramaturgia em 2011”. Em 2013, o texto está sendo preparado para sua primeira publicação em outro idioma, o alemão. Quem trabalha na tradução é o Prof. Dr. Henry Thorau, professor de Ciências da Cultura Brasileira e Portuguesa na Universidade Trier, editor e tradutor dos livros e obras teatrais de Augusto Boal e de Nelson Rodrigues. Em recente evento no Lateinamerika-Institut da Freie Universität Berlin que contou com a presença do Prof. Dr. Marcio Seligmann-Silva (UNICAMP-BRASIL), Ms Maria Lidola (FU-Berlin), Ms Leonel Henckes (UFBA-Bahia) e o autor Aldri Anunciação, o Prof Thorau declarou empolgado que “mesmo que Aldri não escreva mais nenhuma obra, já entrou para a história do Teatro Brasileiro e inaugurou um novo paradigma para o teatro político brasileiro.” 
Recentemente, na apresentação do espetáculo no Teatro Nacional São João na cidade do Porto – Portugal, uma expectadora estasiada procurou Aldri para dizer o quão importante tinha sido para ela assistir ao espetáculo. Professora, disse que era necessário que este texto fosse estudado em todas as escolas portuguesas e seguiu discorrendo sobre as inúmeras associações possíveis a partir do texto e que vão muito além da questão da afro-descendência no Brasil. Tocam em profundos problemas da sociedade europeia, o problema das imigrações, a questão do sentimento de pertença a determinada etnia ou grupo social, as políticas migratórias e exploratórias e etc. Para reforçar a discussão, trago o exemplo da Alemanha que sofre um processo da Namíbia (que foi colônia alemã) pela devolução dos ossos de cidadãos da Namíbia levados para a Alemanha para estudos científicos no século XIX. A Alemanha está sendo solicitada a devolver à Africa “cidadãos” de lá furtados. Mais um exemplo, é a situação da comunidade Turca em Berlin. Uma comunidade que já nasceu em terras germânicas em quarta geração, mas, continua presa a Turquia. As crianças vivem uma profunda crise uma vez nasceram na Alemanha, mas, seguem sendo Turcos, até por exigência da família ou em função da burocracia que não os reconhece como alemães até que tenham 18 anos e possam optar por uma cidadania. Muitas vezes não aprendem corretamente nem o idioma alemão e nem o turco vivendo eternamente na fronteira. São muitos outros os exemplos possíveis que vão, inclusive, ao Sul do Brasil com as colônias de imigrantes.
E Namíbia não para. Recentemente em Londres, a peça foi citada por um britânico que trabalha na City of London Corporation no evento ‘Brasil nos olhos da midia’ na King’s College e despertou o interesse dos presentes que buscam meios de levar o espetáculo para àquele País.

Por estas e outras é que Namíbia, Não! tornou-se uma obra de arte necessária e obrigatória para todo cidadão brasileiro, seja por meio do teatro ou por meio do Livro.

Link para adquirir o livro: http://www.namibianao.com.br/p/livro.html

Jornalista angolano vencedor do Prêmio Maboque de Jornalismo 2010 assistiu Namíbia, Não! neste domingo no Rio de Janeiro

Na foto da esquerda para a direita: Jornalista José Rodrigues, atriz Rose Lima e os atores Aldri Anunciação e Sérgio Menezes. Temporada segue a todo vapor no Rio de Janeiro!

O conceituado jornalista angolano José Rodrigues (vencedor do Prêmio Maboque de Jornalismo – 2010 – http://goo.gl/Sv80J) foi assistir Namíbia, Não! neste domingo no Teatro Cândido Mendes no Rio de Janeiro-RJ, acompanhado pela atriz Rose Lima, que assistiu ao espetáculo pela segunda vez! O jornalista angolano levou seu exemplar do livro Namíbia, Não! e comentou que a comédia levanta uma discussão muito atual e contemporânea, sugerindo que o espetáculo deveria aportar por terras africanas!

O Prêmio Maboque de Jornalismo é conferido anualmente aos jornalistas que se destacam na imprensa angolana.
Rodrigues não é o primeiro espectador africano que assiste Namíbia, Não!. Inclusive cidadãos da Namíbia já estiveram na plateia do espetáculo que trata de forma bem humorada das relações Brasil-Africa e da identidade afro-brasileira com enfoque, ainda, na questão do preconceito e das identidades deslocadas, fenômeno este último, bastante característico da globalização na contemporaneidade.

Namíbia, Não! segue em temporada até o dia 15 de setembro no Teatro Cândido Mendes no bairro de Ipanema no Rio de Janeiro. Sessões sempre de sexta a domingo.

Sergio Menezes, ator que interpreta o personagem André de Namíbia, Não! participou do Programa Sem Censura com Leda Nagle na TV Brasil

Faltando poucas horas para a reestreia de Namíbia, Não! no Rio de Janeiro, o ator Sergio Menezes, que atualmente interpreta o personagem André no espetáculo participou na tarde de hoje do Programa Sem Censura na TV Brasil. A peça que entra em sua 10ª temporada desde a estreia em março de 2011 já percorreu 7 estados brasileiros e apresentou-se em Portugal no Ano do Brasil em Portugal. Ao todo já foram mais 38 mil espectadores. O ator Sergio Menezes, é conhecido do público brasileiro por participações em novelas da Rede Globo, especialmente pelo personagem Fulgêncio da novela Sinhá Moça.   Esta é a terceira temporada em que o ator da vida ao André no lugar de Flávio Bauraqui que se dedica a outros projetos no momento.
Ao longo destes quase três anos de vida do espetáculo dirigido por Lázaro Ramos e com texto de Aldri Anunciação, quatro atores já emprestaram seus corpos e vozes para os dois primos (personagens da peça) André e Antônio. São eles: Aldri Anunciação, Flavio Bauraqui, Fernando Santana e Sergio Menezes.
Namíbia, Não! vai estar em cartaz no Teatro Candido Mendes em Ipanema de 05/07 a 15/09 de sexta à domingo.
Na foto, da esq para a dir. a escritora e pesquisadora Ieda de Oliveira, o ator Sérgio Menezes, a apresentadora Leda Nagle, o compositor e pianista Antônio Adolfo e a médica Maria de Lourdes Oliveira, Fodo de Ieda de Oliveira retirada de: https://www.facebook.com/photo.php?fbid=376753015780425&set=a.183863801736015.39009.183855801736815&type=1&theater

RIO DE JANEIRO, SIM! nova temporada de Namíbia, Não! no Rio começa neste dia 05 de julho.

No terceiro de sucesso do espetáculo Namíbia, Não! com texto de Aldri Anunciação e direção de Lázaro Ramos, voltamos à Cidade Maravilhosa. Que alegria!!
Ao longo de 2 anos e meio de Namíbia, Não!, já percorremos 7 estados brasileiros (Bahia, Rio de Janeiro, Minas Gerais, São Paulo, Ceará, Brasília e Paraná), chegamos a Portugal dentro da programação do Ano do Brasil em Portugal com apresentações na cidade do Porto. O texto teve leitura cênica e o autor Aldri Anunciação participou de um evento sobre teatro político no Brasil na Freie Universität Berlin e vem muita coisa pela frente. 
No final de 2012 e início de 2013, Namíbia, Não! foi pivô de um importante acontecimento na história do teatro negro brasileiro. A mostra Nova Dramaturgia da Melanina Acentuada que ocupou o Teatro de Arena Eugênio Kusnet através do Edital de Ocupação da FUNARTE segundo semestre 2012, deu destaque para grupos, artistas e, principalmente, autores brasileiros de melanina acentuada. 
Após tantas conquistas, nada melhor do que voltar para o Rio de Janeiro onde o espetáculo é sempre tão bem recebido. Desta vez, a temporada vai de 05 de julho a 15 de setembro no Teatro Cândido Mendes – Ipanema.
Excelente oportunidade para quem ainda não viu e aos espectadores assíduos, momento perfeito para matar a saudade.

Serviço:

Namíbia, Não! texto de Aldri Anunciação e direção de Lázaro Ramos

Temporada: 05 de julho a 15 de setembro de 2013 – Sexta e Sábado às 21h e Domingo às 20h

Onde: Teatro Cândido Mendes

Rua Joana Angélica, 63Ipanema – Rio de Janeiro – RJ


Exibir mapa ampliado


Ingressos: 
Sexta e domingo
R$ 40,00 inteira
R$ 20,00 meia

Sábado
R$ 50,00 inteira
R$ 25,00 meia
Duração

Aproximadamente 70 min.

http://www.compreingressos.com/espetaculos/1660-Namibia_Nao

Namíbia, Não! em Berlin

Aldri Anunciação e Prof. Henry Thoreau em “a Livraria”.
Foto: Lauro Vinhatico Kojahk
Leitura de Namíbia, Não! em “a Livraria” com (esq. p/ dir.) Edney Pereira e
MC Diamondog.  Foto: Lauro Vinhatico Kojahk
Nos últimos dias 23 e 24 de junho Aldri Anunciação, autor de Namíbia, Não! esteve em Berlin participando do lançamento do livro com o texto do espetáculo para a comunidade ibero-americana. O evento do dia 23 ocorreu na livraria chamada “a Livraria” dirigida por Edney Pereira, poeta, músico, empresário e produtor cultural brasileiro residente em Berlin. Na ocasião ocorreu uma leitura dramática do texto com atuação de Edney Pereira e do rapper e jornalista angolano MC Diamondog. Após seguiu um debate com o público presente com a mediação do Prof. Dr. Henry Thoreau da Universidade de Trier. Thoreau é lusitanista e dramaturgo, tradutor das obras de Nelson Rodrigues, Plínio Marcos e Augusto Boal para o alemão e profundo conhecedor do teatro brasileiro. O texto foi muito bem recebido pelo público presente que aguarda ansioso pela chegada do espetáculo na capital alemã. O texto está sendo traduzido pelo Professor Thoreau e em breve será publicado naquele país.

Confraternização após a leitura de Namíbia, Não! em “a Livraria” em Berlin. Foto: Lauro Vinhatico Kojahk
No dia 24 de junho, Aldri participou de uma mesa de debates dobre o texto no Lateinamerika-Institut, instituto vinculado a Freie Universität Berlin e onde também funciona o Forschungzentrum Brasilien. Na ocasião o texto foi lido novamente por Edney Pereira e MC Diamondog e após foi comentado e analisado pelo Prof. Henry Thoreau que o considera um divisor de águas na dramaturgia brasileira. Thoreau afirmou que mesmo que Aldri não escreva outro texto, já entrou para a história do teatro brasileiro e lançou uma nova perspectiva sobre o teatro político no Brasil. Analisou também a obra o Prof. Dr Marcio Seligman-Silva da UNICAMP. A mesa contou, ainda, com a mediação e participação da Ms. Maria Lidola (LAI-FU) e do doutorando do PPGAC/UFBA Ms. Leonel Henckes.

Resenha do evento no link: http://www.berlinda.org/pt/palcos/namibia-nao/

Mesa de Debates no LAI – FU – Berlin com (dir p/ esq) Prof. Dr. Márcio Seligman-Silva , Aldri Anunciação, Prof. Dr. Henry Thoreau, Ms. Leonel Henckes, Ms. Maria Lidola

Novas Tendências na Dramaturgia Política no Brasil – Neue Tendenzen in der politischen Dramaturgie Brasiliens

O autor de Namíbia, Não! participa na Alemanha, de evento no Lateinamerika-Institut (LAI) e Forschungszentrum Brasilien na Freie Universität Berlin para debater sobre as novas tendências na dramaturgia política brasileira e Namíbia, Não!. O evento contará com a presença do Prof. Dr. Henry Thoreau da Universität Trier e tradutor para o alemão de obras de Nelson Rodrigues, Plinio Marcos e Augusto Boal. Também do Prof. Dr. Marció Seligman-Silva (UNICAMP/LAI FU Berlin).

Sonntag – 23.06 – Leitura dramática e lançamento do livro em a Livraria (Berlin) com mediação do Prof. Dr. Henry Thoreau da Universität Trier
Montag – 24.06 – Leitura dramática e seminário no Lateinamerika-Institut – Freie Universität Berlin

Szenische Lesung mit

Edney Pereira

Edney é um empresário brasileiro, pernambucano, radicado em Berlin. Poeta, produtor e agitador cultural na comunidade brasileira em Berlin. Editor no portal Agenda Brasil (http://agendabrasil.de/).

MC Diamondog

Diamondog is an Angolan rapper, he is known for making policial and Conscious Hip Hop. He is a journalist, documentary filmmaker, and has a master´s degree in Visual Media and Anthropology from FU.
https://www.facebook.com/mcdiamondogg





Organização: MA Maria Lidola (LAI/FU) e Leonel Henckes (PPGAC-UFBA/CAPES/FU)

Aldri Anunciação ist Schauspieler und Dramaturg des Theaterstücks „NAMÍBIA, NÃO!“, das nach seiner anhaltenden Erfolgsgeschichte seit 2011 in Brasilien in diesem Jahr auch in Europa zu sehen war. Das Stück gewann mehrere Preise in Brasilien, wie den Prêmio Fapex de Teatro (2010). Aldri Anunciação studierte zuvor Theaterwissenschaften an der UNIRIO (Universidade do Rio de Janeiro) und spielte in diversen Stücken, wie „O Sonho“ (Leitung Gabriel Vilela).
„NAMÍBIA, NÃO!“ liegt seit 2010 auch als Publikation (Editora EDUFBA) vor.


Aldri Anunciação, ator e autor de Namíbia, Não! fala com estudantes de escola pública na cidade de Valência no sul da Espanha

Aldri Anunciação, ator e autor de Namíbia, Não! fala com estudantes de escola pública na cidade de Valência no sul da Espanha a convite do prof. Joan Vidal Guerola. Aldri disse que “para criar me deixo afetar pelos acontecimentos atuais do lugar que eu vivo ou que estou” e aconselhou-os a “ficarem atentos a tudo o que ocorre no país deles para a partir disto descobrirem suas sinceras vocações”. A maior parte dos alunos eram filhos de imigrantes.



NAMÍBIA, NÃO! – PORTO, SIM!

O PORTO
Cidade portuguesa localizada no norte do país, é a cidade que deu o nome a Portugal – desde muito cedo (c. 200 a.C.), quando se designava de Portus Cale, vindo mais tarde a tornar-se a capital do Condado Portucalense.
Sua geografia, arquitetura e ruas estreitas subindo e descendo ladeiras tornam inevitável a comparação com a cidade brasileira de Salvador da Bahia, cidade de Namíbia, Não!.
Com cerca de 1.300.000 habitantes, Porto é uma das cidades europeias mais visitadas e seu charme justifica isto. A beleza do que os olhos podem ver a cada esquina somada a noite na praça dos Leões na frente da Reitoria ou nas Galerias, ao ribeira do Rio Douro, os vinhos tintos e o famoso Vinho do Porto, as milhares de padarias com seus doces irresistíveis e as praias fazem um espetáculo apropriado para dias incríveis.
O Ano do Brasil em Portugal desembarcou aqui, fez parceria com o FITEI, festival com 35 anos de história, e trouxe consigo Namíbia, Não! que estreia na próxima quarta-feira no Teatro Nacional São João.